quinta-feira, 24 de junho de 2010

Qualquer dia sem TV


No fio da navalha, vou tratar sobre o tema tão debatido, tuitado, blogado, papeado desde o último domingo: o repúdio à emissora global. EU, não acredito na essência do movimento; na vilanice da reportagem; no endeusamento ao técnico da Seleção Brasileira e de que, realmente, brasileiros e brasileiras não queiram assistir o jogo na PLIM!PLIM! porque se trata da provável besta apocalíptica!
Quero ver mesmo, é se o brasileiro fica sem assistir o Jornal Nacional e as novelinhas de gente pelada, traindo marido em cada esquina, recebendo mensagens do além e ditando moda de cabelos, roupas e o pior, de comportamento.
Nessa historinha toda de dimensões titânicas, fomentadas pelas redes sociais e por um desejo sádico de espancar cachorro morto, percebo uma coisa bem triste. A falta de solidariedade com os colegas jornalistas. Nem sou fã dos repórteres envolvidos na questão, mas vejo outros jornalistas batendo palmas num teclado de "bem feito" e me soa sabe o quê? inveja e dor de cotovelo.
Quem já trabalhou em qualquer veículo de comunicação de massa sabe o que é ter uma exclusiva, o que se faz para isso, a relação com fontes, de forma honesta, profissional, é claro. E qual jornalista não gostaria de estar cobrindo uma copa do mundo? Céus! Isso é realidade!
Eu também já levei cacetadas públicas de entrevistados cuja posição social era de destaque, e sempre me resolvi com eles. Nesse episódio não tem vilão nem mocinho, porque houve arrogância dos dois lados! #prontobloguei

Em tempo: e que tal um dia sem ligar a TV. E em vez disso, ler um livro, passear pelo seu bairro, conversar com um amigo ou até dormir. Você pode!

11 comentários:

  1. Como já tuitei, amiga, Dia sem Globo aqui em casa é todo dia. Duro mesmo é Dia sem Cartoon, aí a ditadorazinha protesta. ;)

    ResponderExcluir
  2. To cem por cento contigo, O comportamento humano em massa à busca de um Judas para toda situação é mesmo deplorável.

    ResponderExcluir
  3. Rita de Cássia Santoro24 de junho de 2010 16:58

    Eu acho que a imprensa no geral está dando muito crédito para assuntos fúteis.
    E como formadora de opinião, acaba influenciando grande parte da sociedade, hoje super informada por todos os meios, inclusive pelas redes sociais, de que barraco alheio, casamento, separação, gravidez de fulaninho e fulaninha global, vale capa.
    Discutir política, abuso sexual, violencia doméstica não dá ipobe e tem que pensar muito...
    Concordo sobre um dia sem TV. Deveria ser obrigatório assim como um dia de desintoxição, pós-domingo, ano-novo, churrasco de copa.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente com vc, Ronise. A dor de cotovelo dos coleguinhas é cansativa. E, mais que isso, o que me irrita mesmo é a falta de educação, seja lá de quem for, do técnico da seleção brasileira, governador, presidente ou papa. Educação cabe em qualquer lugar e aquele que ergue a voz primeiro também perde a razão primeiro. Simples assim. É por atitudes 'dungueiras' que o país está do jeito que está. Agora, pergunto, se o Dunga apontasse o dedo em riste pra vc, como apontou pro Escobar (excelente repórter) e perguntasse 'algum problema', o que vc responderia?

    ResponderExcluir
  5. eu faço isso direto! Na verdade, o meu problema de insonia q nao me deixa ser mais ativista de madrugada..

    ResponderExcluir
  6. Concordo. TV Futura e Cultura. Só. Já postei sobre isso também. Legal!!!

    ResponderExcluir
  7. Pior ainda é ver gente repetindo os discursos dos outros e fingir um engajamento em "movimentos de twitter" pra parecer inteligente (e não ficar de fora, principalmente). Seria bom se essas revoluções fossem de verdade e a gente realmente evoluísse, se interessasse pelo que importa e tentasse mudar de verdade o que não presta! Belo post!

    ResponderExcluir
  8. PUTZ!!! FALOU E DISSE DA MELHOR FORMA POSSÍVEL!!! Como eu já falei num post meu, todo mundo reclama do Galvão Bueno, mas sempre assiste ele...rs
    Bjks grande!

    ResponderExcluir
  9. Gostei da ideia acho que isso tinha que ser lançado, e pra pegar o bom seria lançar a ideia entre as crianças, do jeito q elas são elas cobrariam essa atitude dos pais. Pelo menos aqui em casa é assim, lembro da campanha pra todo mundo apagar a luz no mesmo dia e horário, meus filhos q me lembraram e adoraram a idéia.
    Bjs Giovanna (diGiova)

    ResponderExcluir
  10. Eu tbém concordo. É muito fácil discordar das coisas e não fazer nada pra mudar. Assisto pouca tv, mas nem por isso sou a favor de boicotes ou coisa parecida. Sou a favor da leitura, passeio e sonecas, isso sim! =D

    ResponderExcluir
  11. Concordo plenamente! Claro, ver alguma noticia, pra se interar um pouco do mundo atual eu não discordo. Mas porque não um livro, um passeio por uma praça?

    ResponderExcluir