quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Pequenas atitudes, grandes efeitos

E se você soubesse que um terço de todo o lixo doméstico produzido é composto de material reciclável e 80% deste montante é descartado com uso em uma única vez. E, esse pequeno gesto superlota os lixões do planeta, um dos maiores problemas ambientais? Pior, se você achar que isso não é problema seu, e sim, de ambientalistas, ou das pessoas ecologicamente corretas, os “ecochatos”. Na contramão de ignorar atitudes simples e corriqueiras, pessoas sem formação acadêmica ou científica no que diz respeito ao meio ambiente, começaram a adotar produtos, comportamentos sustentáveis, a fim de colaborar com a saúde do planeta.

Foi o caso da professora Izabel Cavallet, que em tempos modernos, resolveu usar fraldas de pano no filho Vinícius de recente um ano de idade. “Conheci as fraldas de pano através de uma amiga, que não usava, mas sabia que eu curtia “causas ambientais”. As reações foram as mais diversas, desde risadas me chamando de maluca, até caras de nojo e olhares julgadores. Entrei em alguns sites de lojas de produtos ecológicos e vi os preços, então aboli a ideia de vez! Eram muito caras para todo o trabalho que de que elas supostamente me dariam”, no entanto Izabel pesquisou mais sobre o assunto e resolveu adotar o produto.

“Fui atrás de algo que pesasse na balança a favor das fraldas e encontrei estudos que afirmavam que um bebê (por mais lindo, ingênuo e fofinho que seja) gera em seus dois primeiros anos de vida, mais de duas toneladas de lixo, só contando as fraldas descartáveis. Era demais. Olhava meu filho e só conseguia pensar na poluição que ele gerava. Resolvi comprar algumas de testes, afinal era verão, eu tava de licença maternidade (tinha tempo de lavar), e até a loja ajudou, fazendo uma promoção em alguns combos. Comprei seis trocas de uma vez (era o melhor preço) e arrisquei!

Curti desde o primeiro momento. Elas eram lindas, bem mais fáceis de usar e lavar que as “de antigamente”, e meu bebê se adaptou super bem.” Izabel só encontro resistência na escolinha em que matriculou o filho quando voltou a trabalhar, pois lá, só se aceitavam fraldas descartáveis. “Hoje eu tenho usado um pouco menos, mas mesmo assim consigo reduzir umas duas fraldas ao dia. Encontrei um equilíbrio e uma maneira de diminuir um pouquinho o peso na consciência. Mesmo não sendo o ideal acredito que já é uma contribuição legal”, concluiu a professora.

EMPRESA DE SANDUÍCHE NATURAL FAZ A SUA PARTE

Os sócios Ângela Cristina Madalozo, Marcelo Barth e Alexandre Madalozo adotaram medidas sustentáveis na empresa de sanduíches naturais, instalada em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O processo começa desde os preparativos com os pães. As embalagens plásticas são recolhidas para coleta do lixo reciclável e as cascas dos pães das pontas, são doadas a uma instituição de cuida de meninas, para ser reaproveitada em várias receitas culinárias.

Na linha de sanduíche com hambúrguer, cerca de 80% da gordura da carne é retirada numa grelha. O local onde fica a gordura é retirado, guardado em tonéis e repassado para uma pequena fábrica de sabão, que utiliza o produto como matéria-prima.

“Sempre adotamos a filosofia de fazer a nossa parte, a fim de contribuir para o bem estar geral. Contudo, não temos o retorno das nossas ações, ou seja, se o destino de plásticos, papelões, lâmpadas fluorescentes, que são depositadas na nossa empresa, pois não colocamos no lixo comum, devido ao perigo deste material, está sendo trabalhado de forma sustentável”, observou Ângela.


Foto: Valquir Aureliano Processo sustentável nos sanduíches: cascas doadas, embalagens para reciclagem

Mais AQUI na matéria feira para o jornal e Portal BEM PARANÁ

Um comentário: