sexta-feira, 30 de abril de 2010

Protocolo para ir ao ginecologista


É um mal necessário. Ir regularmente (pelo menos uma vez ao ano, tipo dentista) no ginecologista. Mas, surgem algumas dúvidas sobre o protocolo da consulta, uma vez que ficamos expostas, indispostas e pré-dispostas a toques, recolhimento de material, apapalpação, da maneira mais natural possível. Possível para o médico, é a trilionésima periquita que mexe no dia, enfim, começo pelo primeiro quesito:
1) tem que ser homem! mulheres nunca se mostram seguras a fazer um exame ginecológico, parecem cozinheiras de primeira viagem que temem errar o ponto do suflê;
2) na hora de tirar a roupa, com meias ou sem meias? Em Curitiba, geralmente é a primeira opção;
3) é preciso ficar preocupada com depilação? Tudo bem, não é um encontro amoroso, mas expor a mata atlântica não é lá muito recomendável;
4)quem tem filho (a) único (a) e 40 anos tem que obrigatoriamente falar sobre segunda gestação? vasectomia ou medidas preventivas para menopausa?
5)por que a gente demora mais tempo para colocar a roupa depois do exame, do que tirá-la?
Mudei de gineco agora, gostei dele, é do estilo "muderno", pois o meu antigo, agora só atende gestantes e está em fase de pré-aposentadoria, talvez a reflexão desse post seja um pouco de insegurança do começo da relação. Parece íntimo? E como não achar isso de um gineco?

12 comentários:

  1. Hahahaha... Mulher é mesmo um bicho pra lá de estranho. Pois bem, concordo que tem que ser homem. Mãozinha feminina, com suas delicadezas, não dá certo. E a gente não tem como fugir do gineco. Nem celibatárias fogem, imagine nós! Tomara que a relação com ele se estreite. hehehehe...

    ResponderExcluir
  2. Pois é eu tbém concordo que tem que ser homem! O meu gineco fez o parto dos meus irmão (pense, 20 anos atrás)ainda atende a minha mãe, eu e a minha irmã mais nova, que ele tbém fez o parto! Sempre marcamos as três juntas e qndo vamos é aquela sessão nostalgia no consultório... e apesar da idade, ele é beeeem moderninho!

    ResponderExcluir
  3. Mulher é um bicho complicado mesmo como disse as meninas q já comentaram, eu tb sou da turma que prefiro homens. Acho que as meninas que preferem as gine mulheres não passaram por aqui ainda. Pq a maioria q conheço prefere médicas.

    ResponderExcluir
  4. Tô pasma, não sabia que todo mundo preferia homem! Já me consultei com homem e mulher e a minha atual ginecologista me mantém tão fiel que é um dos médicos que pago particular, porque meu convênio não cobre consulta com ela.

    A única coisa chata, que acho que aconteceria com qualquer dos sexos, é que ela fica me falando de filhos como se eu fosse engravidar daqui há pouco. E nem adianta dizer que não pretendo engravidar nessa encarnação...

    ResponderExcluir
  5. Nossa, discordo totalmente do "tem que ser homem". Só uma mulher pode entender o que é cólica e identificar algumas reações e sensações que podem gerar diagnóstico. Ah, machista! Aliás, minhas amigas que já foram tanto em homens quanto em mulheres ginecologistas são unânimes em dizer que homens são mais delicados para os exames. EEEWWW Eu só admito mulher.

    ResponderExcluir
  6. Eu tive uma ginecologista em Londrina que era fantástica! Resolvidíssima, sem filhos, papeava na consulta e nos deixava muito à vontade pra tirar todo tipo de dúvida. Aqui em Curitiba tentei com 2 mulheres, não gostei. Agora, vou a um homem e neste ano, pela primeira vez na vida, me tratou como uma 'mulher realmente adulta' e não como uma jovenzinha... perguntou quando eu quero engravidar, dos riscos do uso prolongado do anticoncepcional, entre outras coisas...

    Eu sempre acho engraçado o fato da gente ficar naquela posição nada confortável e ter que 'relaxar', fingir que é normal, etc e tal... hahahahah

    ResponderExcluir
  7. ah, não faço diferença entre homem e mulher, qquer um mexendo ali é bem desconfortável. mas eu gosto de médico que conversa, sabe? hahaha

    ResponderExcluir
  8. Uma curiosa virtual30 de abril de 2010 15:08

    A questão não é homem ou mulher, mas a diferença consiste em alguns detalhes. O médico analisa do ponto de vista mais clínico, enquanto a mulher s envolve nso aspectos mais emocionais, por também ser mulher.
    Acho que a gente não deve se preocupar apenas nesse detalhes (meias, depilação, etc), mas eu estar higienicamente compatível numa consulta dessa natureza.
    Bom o tema, bom o blog

    ResponderExcluir
  9. Bem, apesar da polêmica, especialmente fomentada no twitter a respeito da preferência por médicos, em vez de médicas, deixo claro que aqui é a minha opinião expressada e todas às contrárias são abertas para demonstração!
    Beijos!

    ResponderExcluir