quarta-feira, 28 de março de 2012

UTOPIA Drugstore

Sem receita na mão, a moça entra meio encabulada e pede para o farmacêutico:
- Tem remédio para coração partido?
O moço, alto e magro, coloca a mão sobre o queixo e responde:
- Na verdade, se for recente você pode usar um cicatrizante em gel e isolar a área com gaze.
- Mas a dor é profunda. Lamenta a mulher, agora com olhar de menina.
Sabendo que dores do coração geralmente são inflacionadas pelo doentes, o farmacêutico tenta vender uma série de outros produtos, parte de acordo nas entrelinhas com a Soberba´s Factory.
- Bem, quero te mostrar uma coisa, diz o farmacêutico com sorriso de vendedor de ilusões. No setor C temos um kit Amor Eterno. Olhe, é composto de gotas de sedução, sexo via oral e paixão injetável.
- É muito caro? - perguntou a mocinha meio interessada, meio desconfiada.
- Olha minha querida, quem quer se apaixonar paga o preço!

Mais tarde, entram pai e filho adolescente na Utopia Drugstore. Cada qual no seu lado, o farmacêutico, o mesmo, o alto e magro, de cabelos crespos escuros e nariz proeminente, faz uma abordagem conjunta.
- Em que posso serví-los?
O jovem se esquiva olhando para o teto, enquanto o pai pigarreia antes de pedir o medicamento.
- Ran! O senhor tem perdão, desculpas ou genérico disso?
- Hum... o senhor tem que ser específico. Perdão, a dosagem é mais alta, porém o efeito é melhor, embora o tratamento seja demorado. O senhor sabe, perdão passa pelo cérebro, coração, e pode dar reações intestinais, pois, como o senhor deve saber, esse processo de perdoar é uma merda, com o perdão da palavra. No caso de algo mais leve, sem muitas complicações pode se levar um vidrinho de desculpas, são só três gotas ao dia. O problema é que o uso contínuo provoca amnésia, e se é preciso tomar mais gotas de desculpas. Mas, temos ainda o genérico VALEU! Esse é efervescente, mas só dura o tempo em que fica no organismo e o ponto negativo é que vicia. A pessoa faz a burrada, toma o Valeu! e acha que está curada (riu).
O pai pediu perdão e foi alertado:
- Esqueci de explicar ao senhor, que para total eficácia do tratamento, todas as pessoas envolvidas devem fazer uso do medicamento!
-Dá um prá mim também, disse o garoto com ar blasè.
Papai pagou com cartão de débito e os dois nunca usaram o produto.

E se eu entrasse nessa drogaria pediria um pouco de Paz.
-Moça, aqui não vendemos produtos homeopáticos, ouviria do farmacêutico alto, magro, de cabelos crespos e escuros, nariz prominente e mãos irritantemente asseadas.




2 comentários:

  1. Miguel Ângelo de Andrade30 de março de 2012 10:42

    Manda uma dose cavalar de Lucidez Concentrada. É para fazer contraponto às maluquices deste mundo.

    ResponderExcluir
  2. Miguel, acho que esse medicamento sai da linha de produção :)

    ResponderExcluir