sexta-feira, 9 de março de 2012

A vingança e a justiça

Vingança. Uns dizem que se vingam, outros jamais admitiriam isso no seu perfil, etc, etc, etc. Mesmo que não se admita ser vingativo, que o destino se encarregue de vingar sua causa, ninguém é tão blasè que não se sinta vingado, mesmo que não admita isso. A vingança, essa ação amaldiçoada, com traços de fraqueza e ao mesmo tempo de altivez, é a mola mestra de vilões, mas também, a de heróis. Ai reside a linha tênue da vingança e da justiça, porque todo vingador acha que a vingança é sua forma de justiça.

O mocinho acha que ele, sua comunidade, o mundo precisa de uma resposta pela condição "injusta" e ai ele invoca seus super poderes e luta em busca da vitória, que nada mais é, a vingança. Por outro lado, o vilão, que usa métodos escusos, porém mais verdadeiros, dá a cara para bater, solta o riso sarcástico e urra "vou me vingar de vocês!" - e mesmo com o resultado previsível da derrota, ele sustenta seu intento, porque o importante é lutar e também dizer para a sociedade "olha, eu também tenho meu jeito de resolver as coisas".

E então, hoje me aconteceu algo recorrente na minha vida; alguém que já tive um relacionamento pessoal, que rompeu comigo de forma inexplicável, ou clara, que me causou na época dos fatos raiva, dúvida, sofrimento, mas que nunca me movi para prejudicar, simplesmente me acomodei com a tal passagem do tempo, aparece na roda de outra turma, de outros ares, com a queixa de "não ser pessoa confiável". E, como sempre, você conhece Ronise? Acho que devo indicar? E se fosse realmente vingativa, teria naquela hora, a grande chance de ferrar com a tal pessoa - no entanto, o meu prazer não é me vingar nos moldes das histórias convencionais, mas sentir o gostinho daquele segundo, que eu poderia mudar o destino de quem um dia dia me magoou. Só que acho que isso se chama justiça! Ponto.

7 comentários:

  1. Toda justiça vem acompanhada da verdade.

    ResponderExcluir
  2. Boa análise, mas pelo seu ponto de vista acho que me enquadraria na vingança.

    ResponderExcluir
  3. Engraçado ler isso, hoje mesmo estava assistindo enquanto ia para o trabalho "o conde de monte cristo" e fiquei "encucada" martelando sobre esse sentimento tão controverso. Seria uma perninha da justiça? Em alguns casos creio que seja...
    Obrigada pela presença no blog, estarei sempre aqui!

    ResponderExcluir
  4. Você é sempre assim tão amarga? Lendo as postagens anteriores no teu blog a gente se assusta com tanta amargura, com tanto 'colocar a culpa no outro' e com o tom sádico e irônico que você usa.

    Já parou para pensar que pode ser você a pessoa errada?

    Acredito que está te faltando um pouco auto crítica e auto reconhecimento acerca da culpabilidade em algumas questões.

    Só um alerta.

    Abs.,

    Marcelo

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcelo! Se és o Marcelo mesmo, porque seu comentário me soa tão familiar... Esse é um blog pessoa, estilo catarse e aberto.
    Se foi essa a impressão que você teve, estou sujeita a isso, mas se prestar bem atenção, perceberás o quanto sou autocrítica!
    Abs,

    ResponderExcluir
  6. Se o comentário soa familiar, passe a perceber-se.
    Talvez não seja eu o único a pensar assim de ti.
    Mas acredito que, se é assim tão catártico e te faz bem, siga em frente.
    Foi apenas e tão somente a impressão que tive de você. E normalmente ñ me engano com as pessoas através de seus etextos.
    E sim, sou Marcelo. Mais uma razão para vc repensar e perceber-se.

    Até.

    ResponderExcluir
  7. Então, que seja também sua catarse! Pelo que vi, já foi!

    ResponderExcluir